Anúncio

Recolher
No announcement yet.

Guerra Elemental – Parte 5: Éter (Reprise)

Recolher
Este tópico está trancado.
X
X
  • Filtrar
  • Hora
  • Exibir
Limpar Tudo
novos posts

  • Guerra Elemental – Parte 5: Éter (Reprise)




    🗨️ “Aaargh!”, Raxgarus urra de dor.

    Gallia salta no ar, no momento exato em que Raxgarus toma impulso para desferir o seu golpe mais mortal, e esmaga as suas asas quirópteras com um só golpe dos seus poderosos punhos, antes mesmo de ambos tocarem o chão.
    Derrotado e aleijado, Raxgarus rasteja e esconde-se nas sombras para não ser aniquilado no campo de batalha do Bless Castle.
    No refúgio da escuridão, de repente, Raxgarus depara-se com a Rainha Succubus e implora pelo seu socorro:

    🗨️ “Tenha piedade, minha Rainha! Ajude-me, p... p... por favor!”, suplica Raxgarus à Rainha Succubus.
    🗨️ “Ha ha ha ha ha!
    Na verdade, meu querido Raxgarus, é você quem vai me ajudar...
    Ha ha ha ha ha!”, gargalha a Rainha Succubus.

    Utilizando o seu terrível poder, a Rainha Succubus absorve o pouco de energia vital que ainda residia em Raxgarus e, numa demonstração de extrema crueldade, usa as próprias garras do moribundo para decapitá-lo.
    Com toda a sua frieza característica, a Rainha Succubus coleta o sangue rubro-negro do corpo agonizante do general derrotado e armazena-o em uma pequena garrafa para preservar as suas propriedades mágicas.
    Os guerreiros pristonianos, que haviam partido numa feroz caçada à Raxgarus, chegam ao local e encontram-no decrépito e mutilado, como se estivesse decompondo-se há dias.
    Em Ricarten, as pedras do éter são entregues ao Comandante Derik, que saúda as suas tropas e o Esquadrão Especial de Guerreiras pela fabulosa vitória no Castelo Bless.
    Mas, a dificuldade na batalha e a ferocidade dos monstros mortos-vivos não permitiu que essências do éter suficientes fossem coletadas dessa vez.
    Preocupada, a Sábia Celina põe-se, imediatamente, a extrair as poucas essências das pedras e, com muito esforço, consegue preparar o concentrado de Essências do Éter.
    Envoltas pelo círculo mágico de proteção do Mago Real Ray, as Sacerdotisas dos Elementos ocupam, mais uma vez, seus lugares nos quadrantes dos elementos do fogo, da água, da terra e do ar, e com Celina, ao centro, representando o quinto elemento, o éter.
    Auxiliada pela conexão psíquica com a Clériga do Templo, Celina consegue invocar, novamente, a Esfera do Éter, que é energizada pelo concentrado de essências.
    Felizmente, o poder da Esfera do Éter é tamanho, que consegue subjugar os monstros mortos-vivos de Midranda e enviá-los de volta para as infradimensões do subterrâneo.
    Entretanto, a onda de energia liberada pela Esfera Elemental só alcança os pristonianos do reino de Awell, fortalecendo-os com o poder do éter.
    Enfim, a vitória!
    Todos se reúnem em torno de uma enorme fogueira para celebrar o triunfo, as novas alianças e compartilhar as suas fantásticas histórias da mais difícil batalha já travada na Terceira Guerra dos Deuses.
    Ao cair da noite, a Sábia Celina, feliz por ter superado mais um grande desafio, graças à ajuda da sua amiga Clériga do Templo, mas muito cansada pelo extraordinário esforço empreendido, decide recolher-se aos seus aposentos.
    Exausta, não percebe que uma misteriosa sombra a acompanha durante todo o percurso.
    Celina, logo, adormece.
    Na mesma hora, emergindo das sombras da escuridão, lentamente, uma silhueta feminina e sensual se materializa no quarto e a Rainha Succubus surge como uma presença perigosa e ameaçadora aos pés da cama de Celina.
    Silenciosa e delicadamente, a ardilosa bruxa despeja o sangue rubro-negro de Raxgarus ao chão, proferindo estranhas palavras em uma língua antiga e desconhecida e realizando a sua hedionda magia negra.
    Subitamente, o sangue começa a coagular e a tomar uma forma cilíndrica e alongada. Na sequência, transforma-se em uma enorme e peçonhenta serpente negra, com olhos e língua vermelho-sangue, que começa a rastejar em direção à Celina.
    Antes que Celina possa notar, a serpente está sobre ela e em posição de ataque.

    🗨️ “Aaaaaaaaaah!”, grita Celina.

    É tarde demais!
    A serpente demoníaca dá o bote e pica, certeira, o pescoço desprotegido de Celina quando ela tenta se levantar.
    Paralisada pelo veneno que começa a circular em suas veias, ela não consegue pedir ajuda e nem externar o horror e a dor agonizante que está sentindo, a não ser pela expressão dos seus olhos.

    🗨️ “Ha ha ha ha ha!
    Você não se parece em nada com uma deusa agora, Idhas!
    Se você não pode morrer, então, não poderá viver também!
    Estará aprisionada, eternamente, entre o mundo dos vivos e dos mortos.
    Ha ha ha ha ha!”, vangloria-se, em tom de deboche, a Rainha Succubus, satisfeita com a sua vingança.

    Essa é a última lembrança de Celina, antes de desmaiar.
    Imediatamente, a Clériga do Templo sente que algo terrível aconteceu à Celina e corre para tentar acudi-la.
    Ao chegar aos aposentos de Celina, a Clériga do Templo se depara com a chocante cena de Celina caída ao chão e a vil serpente desintegrando-se numa névoa rubro-negra, enquanto se afasta dela vagarosamente.
    Antes que pudesse ser vista por alguém, a Rainha Succubus retorna à Pillai.

    🗨️ “Fizeste muito bem, minha gloriosa rainha!
    Com Idhas fora do nosso caminho, nada poderá nos impedir de conquistar este mundo!
    És, verdadeiramente, surpreendente!”, Midranda enaltece a Rainha Succubus.
    🗨️ “Vivo para vos servir e ajudar a alcançar os vossos objetivos. Vós sois o meu mestre e único deus!”, responde e curva-se a Rainha Succubus diante de Midranda.

    Após passarem o resto da noite aplicando todos os tipos de soros antiofídicos em Celina e tantos outros encantos para curá-la, sem sucesso, as Sacerdotisas decidem retornar aos seus respectivos Templos dos Elementos para pesquisar por um tratamento para Celina.
    A Clériga do Templo, o Oráculo, sente-se culpada por não ter previsto o ataque da Rainha Succubus e decide partir em uma jornada solitária para tentar salvar Celina.
    Nenhum Xamã nem Mago Real jamais viu ou conheceu magia negra alguma tão poderosa antes.
    Rapidamente, a alegria da vitória na última batalha transforma-se em um profundo pesar em Ricarten.
    Todos os pristonianos sabem, agora, que o próximo ataque de Midranda é certo e será implacável. A única dúvida é quando atacará novamente...
    A tristeza se converte, então, em medo.
    Sem os conhecimentos da técnica da “Fusão”, que só é dominada pela Sábia Celina, todos sentem-se fragilizados e à mercê do seu próprio destino.

    Reviva as emoções da última semana do evento Guerra Elemental – Parte 5: Éter na Saideira de Férias de Inverno do Priston! 🎞
    Confira!



















    O evento Guerra Elemental – Parte 5: Éter continua ativo nos subservidores Alfa, Beta e Delta em todos os servidores.


    Para saber mais, visite o nosso website e siga-nos no Facebook:
    Website: https://goo.gl/Qpfoj1
    • Facebook: https://goo.gl/1SF7sf


    As férias de inverno acabaram...
    Mas, aqui, no Priston Tale, elas continuam por mais uma semana na Saideira!
    Aproveite!


    Equipe Priston Tale
Carregando...
X