Anúncio

Recolher
No announcement yet.

A Verdadeira História do Continente de Priston

Recolher
X
  • Filtrar
  • Hora
  • Exibir
Limpar Tudo
novos posts

  • A Verdadeira História do Continente de Priston

    História de Priston Tale – Organizado por Cavaleirojean

    Notas do autor:

    O enredo do Priston Tale nunca foi divulgado oficialmente de maneira uniforme. Mesmo no ano do lançamento, pouco texto de introdução foi apresentado. A empresa ****** Games (primeira publisher do jogo no Brasil) também não possuía informações do roteiro.

    Essa história foi desenvolvida através de pesquisa em diversas fontes oficiais, como o site e fórum, vídeos promocionais do EPT/KPT e também blogs relacionados (priston tale blog e priston tale News), informações de dentro do jogo e eventos criados in-game pelas empresas ******, ***** e Zenit. As informações encontradas estavam todas de maneira não linear, o que tornou um pouco trabalhoso ordenar os fatos.

    A Zenit recentemente divulgou sua versão da História do Priston tale, trazendo informações da criação do continente e das Guerras dos Deuses. Porém, Há uma divergência com a história original.

    Insta salientar que não sou nenhum escritor profissional, apenas um fã de Priston que deseja colaborar com a comunidade. Peço desculpa por possíveis erros de português.

    Criação do Continente – Milhares de anos atrás


    No início de tudo, existiam vários deuses, que criaram o mundo e deram origem à vida no continente de Priston. Alguns desses deuses, os mais importantes, chamavam-se Gallantia, Majok, Tempritos, Skronipe, Idhas, Midranda, Awell, Migal e Mardanos. Destes, Tempritos governava soberano, estando acima dos demais. Todos os deuses ajudaram a dar vida e forma ao continente, criando os humanos, a terra, o céu, o mar e a magia. Por dezenas de eras houve prosperidade, todos viviam em paz nas terras de Priston. Majok, um deus invejoso e ganancioso, estimulou Midranda, o deus mais poderoso e orgulhoso de todos a se revoltar e ajudá-lo a destruir Tempritos e os outros deuses. Midranda que já era extremamente egoísta e ambicioso foi seduzido por suas palavras e decidiu se unir a ele. Midranda iludiu milhares de humanos os transformando em seguidores fiéis.


    A Guerra dos Deuses ou Guerra Dos Anciões – Centenas de Anos atrás

    A guerra dos deuses eclodiu, opondo Tempritos (com os humanos e deuses aliados) e Majok (com Midranda, seus seguidores e Monstros). A batalha final foi travada no Campo de Batalha dos Anciões, onde Tempritos e os outros deuses enfrentaram o exército de criaturas profanas. Ao fim, Majok foi ferido mortalmente e expulso do continente, todavia Priston foi devastado. Gallantia sucumbiu e Midranda foi trancado no Enigma, deixando para trás milhares de monstros. Destes monstros, muitos foram aprisionados em Cristais, onde deveriam se acalmar para serem usados como armas para uma possível nova guerra. Além disso, muitos outros foram presos no Calabouço Antigo, uma prisão ancestral que deveria contê-los.

    Babel, o anjo negro e também general de Midranda, desapareceu no fim da guerra, intimidado com o poder dos deuses. Outro grande guerreiro de Midranda, o Fúria, foi aprisionado pelos anciões em uma estrutura que, após a guerra, ficou conhecida como o Templo Maldito, e os monstros dali passaram a adorá-lo. O Senhor da Escuridão, Valento, foi selado no meio de um deserto, no Templo Zenith. Após muito tempo, o templo foi esquecido e a desapareceu em meio ao deserto. Após aprisionar os grandes líderes do exército de Midranda, os anciões se retiraram para o deserto buscando paz. O local de seu descanso ficou conhecido como o Refúgio dos Anciões, local que permaneceu protegido por eles mesmo após suas mortes.


    Em uma das batalhas mais sangrentas da história, o sangue de bravos guerreiros foi derramado em um local que ficou envolto em chamas e escuridão, o Vale do Fogo. Somente os mais corajosos ousam pisar neste solo que hoje é cercado por um ar tenebroso e possui um clima extremamente sombrio. Durante a batalha ocorrida, alguns dos deuses benevolentes de Priston uniram suas forças e se sacrificaram para selar os milhares de monstros que residiam dentro do Vale do Fogo. Migal disse antes da morte ao feiticeiro Ardhorant: “Este não é o fim. Em breve o mal se levantará novamente. Para isso lhe encarrego a tarefa de recrutar bravos guerreiros para abrirem o portal para o Vale do Fogo e acabarem com as forças do mal que tentarem romper o lacre sagrado”. O feiticeiro retornaria anos mais tarde, para recrutar tais guerreiros.


    Além disso, durante a guerra dos deuses, antes de ser trancado no Enigma, Midranda amaldiçoou um dos filhos de Tempritos, Mauldor, transformando-o em um bruxo da escuridão. Midranda ensinou ao bruxo poderosas magias que usou para fins profanos. Ele ficou conhecido então como o carrasco, por destruir várias vilas e cidades de Priston para vingar seu tutor. Mesmo com a guerra entre os deuses terminada o carrasco Mauldor continuou a conduzir exércitos para a luta. No entanto, um antigo general das forças dos Morions, Sir Ellyan, lutou com Mauldor. A luta entre eles durou muito tempo, e seus esforços finais foram em um jardim próximo da onde seria a capital dos Tempskrons. Na batalha final, Ellyan derrotou Mauldor e o decapitou. O sangue de Mauldor espirrou em Ellyan e seus últimos soldados, transformando-os em criaturas horrendas: os Duendes Macabros. No entanto, através de sua feitiçaria, Mauldor conseguiu sobreviver sem cabeça, e fugiu, jurando vingança no futuro. O local da derrocada de Mauldor ficou conhecido como o Jardim da Liberdade.


    Com o fim da Guerra , as sereias, criaturas poderosas, retornaram para seu lar: um lago localizado no meio de uma cadeia de montanhas no deserto, onde os raios solares não ousam chegar. Após o retorno das sereias, um grande mal se abateu sobre o lago, transformando as criaturas que ali viviam em monstros vis e gananciosos. As sereias tornaram-se profanas e passaram a governar o lugar.

    Seguiram-se séculos de decadência e, então, ao norte, os sobreviventes prósperos em poderes mágicos se autodenominaram Morions, pois seu estilo de vida visava à religião e à moralidade. Com o poder concedido a eles pelos deuses Migal e Mardanos, eles ergueram uma cidade flutuante para que, caso o caos voltasse a surgir, eles estariam a salvo. Aqueles ao sul, acreditando serem descendentes dos deuses Tempritos e Skronipe, se autoproclamaram Tempskrons. Eles eram uma raça guerreira, cheia de técnicas de combate e pouca mágica. Enquanto os Morions ao norte utilizaram a magia para se erguer, os Tempskrons ao sul se desenvolveram através das máquinas por eles criadas. Ricarten, como foi chamada sua capital, tornou-se o centro comercial do mundo conhecido, onde praticamente qualquer item poderia ser encontrado. Além disso, outros sobreviventes seguiram para outras partes do continente, fundando a Vila Eura à nordeste e Navisko à sudeste.


    Ambas as regiões foram tão devastadas que todos os traços da civilização anterior se foram e o conhecimento antigo foi perdido. Os sobreviventes começaram do zero, levando décadas para reconstruir toda a região e retomar a prosperidade.


    A paz no continente durou bons longos anos, até que a influência de Majok retornou, e os monstros, que já estavam se tornando bons, tornaram-se maus novamente. Os adoradores do Santuário Sombrio, monstros que idolatravam Midranda e que se esconderam em um Santuário erguido a ele, vieram à tona. Além disso, ocorreu uma revolta no Calabouço Antigo, e as bestas tomaram o controle do lugar, reaparecendo e escapando de onde eram aprisionados. Nessa época, espíritos malignos fugiram de sua prisão e foram habitar as árvores das florestas e matas do continente, assombrando-as.


    A cidade de Navisko, outrora próspera cidade do deserto, um descanso entre o Oasis e o Campo de Batalha dos Anciões, foi misteriosamente amaldiçoada por um feiticeiro necromante chamado Igolas. A maioria dos moradores morreu ou fugiu para Pillai ou Ricarten. Os cidadãos que decidiram permanecer agora não podem mais sair e, graças à maldição, a noite eles se transformam em monstros e perdem o controle, atacando qualquer coisa viva.

    Temendo a volta de Midranda, foi criado Bellatra. Os líderes das tribos Morion e Tempskron uniram-se para fazer de Bellatra um centro de treinamento. Bellatra nada mais era que uma imensa torre que funcionava como uma prisão (a maior e mais perigosa) de lacaios dos deuses malignos. Os guerreiros eram enviados para torre onde treinariam para caso uma nova guerra emergisse, haveriam clãs aptos para o combate. Bellatra ficou conhecida como A Torre da Dor, pois só os mais fortes sobreviviam. Com o passar do tempo, os clãs de guerreiros passaram a competir entre si para o controle da torre.


    Uma gigantesca construção foi erguida ao sul do continente, denominada Castelo Bless. A Lenda sobre o continente de Priston...


    Uma das maiores lendas sobre o continente de Priston iniciou-se com um grande guerreiro, Eliot Bless, aquele que derrubou a Torre de Valhalla. Esta lenda deu origem a Família Real Bless, que tomaram a Torre como sua posse.


    Não houve questionamentos sobre o poder de Bless e a lenda desta Família imortalizou-se. Houve, porém, muitos grupos opositores que, gananciosamente, desejaram o poder da Família Real e continuaram a desafiá-los a derrubarem a Torre, mas Bless sempre foi vitorioso em subjugá-los e derrotá-los.
    Muitos anos se passaram...

    Hadrian, chefe do clã "Ruskan", sediado nos arredores da Estrada de Ferro do Caos, ouviu uma notícia de seu mensageiro enviado a Ricarten, que o sucessor de Bless tiranizou o continente colhendo taxas para seu próprio prazer e divertimento, ignorando os apelos sobre a pobreza e a angústia de seu povo.


    Todos os dias, pessoas em fúria e desespero protestavam, somente para serem pisoteadas pelos guardas reais e depois, executadas.

    Essas notícias enfureceram cada clã nos mais diversos lugares do continente Priston que tiveram vários de seus valorosos guerreiros mortos nos campos de batalha por honra a Família Real, decidiram intervir contra a tirania do Rei.
    Eles se uniram mais uma vez sob a promessa de estilhaçar Valhalla e destronar Rei Carden. Suas espadas sagradas que uma vez apontaram para Igolanos, agora rumam para Carden, e estão chegando ao Castelo Bless um por um...

    Agora, esta lenda novamente cairá sobre a nova Família Real que surgirá, e o Rei do Continente poderá ser substituído a qualquer momento.

    A maior parte da terra dos Tempskron ainda permanecia em ruínas, mesmo a guerra tendo acabado a muito tempo. Enquanto a paisagem dos Morions estava intocada, graças à mágica concedida a eles por Migal e Mardanos, a tecnologia dos Tempskrons não era suficiente para restaurar seu território.


    Houve então Tempskrons que viajaram ao norte e encontraram Morions no Centro do continente. Ali uma aliança foi formada, e os Morions se dispuseram a transformar as terras destruídas dos Tempskrons em belas trilhas naturais. Então, naquele ponto, foi criada a Vila Ruinen, como um ponto médio entre a jornada de Pillai a Ricarten e também um ponto de descanso para os heróis que lutariam contra os monstros de Calabouço Antigo. Além disso, a terra onde fica a entrada do Calabouço Antigo foi transformada em um posto de guarda nesta época.

    Certo dia, um Morion estava explorando a Floresta das Ilusões quando encontrou uma abelha estranha, e resolveu segui-la. Isso o levou à Caverna das Abelhas, onde uma estranha maldição transformou as abelhas do local em terríveis monstros. Além disso, foi descoberta uma ligação entre essa caverna e o Santuário Sombrio, o que preocupou as autoridades, visto que monstros pareciam fugir do Santuário Sombrio por ali. Algo parecido aconteceu com um Tempskron que estava caçando Wolverines em Mata das Acácias, quando descobriu a Caverna dos Cogumelos.

    Como as cavernas eram lotadas de túneis secretos e enormes, seria impossível a destruição destas áreas. Mesmo assim, guerreiros foram encorajados a matar os habitantes de tais locais para garantir a segurança de Priston, e guardas foram colocados na entrada das cavernas para impedir a fuga de monstros.

    Um ancião Tempskron, pesquisando antigos poderes mágicos, inventou o Portal, o que possibilitou o transporte entre as áreas mais importantes e cidades, tornando possível a defesa de qualquer território. O rendimento era usado para adaptar Ricarten à batalha. Então Ricarten foi transformada em uma cidade que poderia resistir a um cerco. Enquanto isso, em Pillai, o sábio Newter inventou seu próprio meio de teleporte.

    Algum tempo após a fundação da Vila Ruinen e do posto de guarda para o Calabouço Antigo, o antigo general de Midranda, Babel, se revelou e conduziu um exército de Ciclopes para devastar o posto de guarda, que ficou conhecido como Terra Maldita. Além disso, insatisfeito com apenas isso, Babel conduziu seu exército para Vila Ruinen, que não foi capaz de resistir à ameaça Ciclope. Babel então se retirou, e seu paradeiro a partir de então permaneceu desconhecido por alguns anos.

    No entanto, Babel voltou a aparecer. Conduzindo um exército de Punhos de Aço, devastou a Vila Eura. Mesmo os habitantes da vila, armados e treinados para um ataque, não resistiram ao exército de máquinas. Após destruir Eura, o anjo negro desapareceu.
    Mais tarde, além do Campo de Batalha dos Anciões, foi encontrada uma área singular. Ela foi chamada de Estrada de Ferro do Caos e, em seu meio, estava o Coração de Perum. Neste local, resquícios da presença de Midranda podem ser encontrados, incluindo experimentos com armamento, mágica e máquinas. Nesse território também foi descoberto o paradeiro de Babel, o general de Midranda. Ele se abrigou em meio ao Coração de Perum, comandando os exércitos de monstros à distância.


    Algum tempo depois, o Templo Zenith, há muito esquecido, voltou a ter importância. O Senhor da Escuridão, Valento, conseguiu quebrar o selo que o mantinha preso. Valento anteriormente era humano e apaixonado por sua amada CaosCara. O casal foi amaldiçoado por feiticeiros negros igolanos, e foram transformados em monstros. A maldição também impedia que se encontrassem, condenando-os a viverem separados.
    Com a fuga de Valento, os deuses enviaram Religan, o semideus, para conduzir um batalhão de guerreiros para impedir o inimigo. No entanto, após escapar de emboscadas e vencer os desafios do Templo Zenith, os guerreiros acabaram vencidos pelo Senhor da Escuridão. Valento, então, seguiu para o Vale Gallubia, onde reuniu seu antigo exército e congela tudo ao seu redor.


    No entanto, o estardalhaço causado pelo retorno do Valento acabou despertando um demônio adormecido no vulcão no centro do Santuário Congelado. Kelvezu, o dragão abissal, a criatura mais poderosa concebida por Midranda. O vulcão passou a ser conhecido como Covil de Kelvezu e é habitado pelas criaturas mais temidas do mundo de Priston. Com o retorno de Valento, o frio assolou os lugares próximos do Vale Gallubia, e Vila Eura passou a ser um local gelado. Com tal frio o exército de máquinas que a assolava enrijeceu e, incapazes de resistir ao frio, retornaram para Perum, onde Babel não ficou nada contente.


    Dias de Hoje – A Nova Guerra dos Deuses


    Todos esses sinais mostraram que uma nova guerra estava próxima. Os anciões chamavam esses sinais de Penumbra de Midranda, com a ascensão de novos generais malignos.


    Na cidade de Eura, o mestre da força revelou o trágico passado de Valento e Caoscara, os monstros mais terríveis do Vale Gallubia. Valento era um antigo rei dos Tempskrons que se apaixonou pela princesa dos Morions chamada CaosCara. Infelizmente o casal não poderia ficar junto e selar seu amor, pois os reinos na época eram inimigos. Os igolanos visando enfraquecer as duas tribos, amaldiçoaram por intermédio de um anel, os dois amantes e os transformaram nas criaturas hoje conhecidas.


    Alguns aventureiros ao ouvirem essa história, decidiram quebrar a maldição do casal, recuperando o anel amaldiçoado para purifica-lo. A missão foi um sucesso e a maldição foi quebrada e o amor de ambos restaurado.
    Todavia, Valento e Caoscara geraram um filho juntos. Desse relação, nasceu Kevros, um monstro de poderes inimagináveis. O filho do Senhor da Escuridão, quando atingiu a fase adulta, já estava apto para liderar hordas de monstros. Ele Foi treinado pelos Igolanos e incumbido de exterminar os clãs protetores do continente. Felizmente para os pristonianos, Kevros foi derrotado pelos guerreiros escolhidos pelos deuses da criação.


    Neste diapasão, uma antiga mina congelada no Vale Gallubia, era uma prisão secreta de bestas horríveis e extremamente poderosas. Elas haviam sido aprisionadas em sigilo total, e com o enfraquecimento do selo, se libertaram e invadiram as regiões geladas de Priston. Ao todo, eram oito criaturas, sendo o espadachim gigante Tulla, o mais poderoso. Tulla exigiu o trono de Valento, que já não habitava mais os domínios congelados e se torno o novo Senhor do Gelo.


    Os guardiões do Castelo Bless, avançaram para áreas jamais exploradas com o objetivo de descobrir o paradeiro de Midranda. Marcharam ao leste por inúmeros dias até finalmente encontrarem uma pista. Os guerreiros descobriram um laboratório secreto, usado a centenas de anos, na época da Grande Guerra. Era o principal laboratório de criação de armas durante a guerra passada, cuja localização era desconhecida. As legiões sombrias estavam se reunindo no local para adquirir poderes e armas. Draxos um monstro extremamente poderoso comandava o local. Ele buscava poder para tomar o lugar de Babel e se fixar como braço direito dos deuses malignos.


    O comandante Derik, obteve informações com os engenheiros inimigos que havia um plano para reativar a Arma Antiga, utilizada pelos pristonianos antigos que desafiaram os deuses. O sábio Newter requereu um cristal de força que poderia ser obtido apenas com a morte de Tulla. O cristal seria a chave para criar uma bomba de destruição e destruir o laboratório secreto.
    Nesta esteira, inúmeros clãs se uniram para matar o Grande Tulla e obtiveram êxito. Com a posse do cristal, Newter construiu a bomba e Derik e seus aliados a detonaram na sala de máquinas do laboratório.


    Após a explosão da bomba, uma feroz batalha foi travada entre os cavaleiros liderados por Derik e as criaturas do laboratório. Draxos foi derrotado e sua cabeça serviu de troféu para os homens. Os soldados investigaram intensivamente o laboratório e descobriram a localização da Arma Antiga, arma usada pelos pristonianos na guerra passada e que se pensava estar perdida. Contudo, a poderosa arma estava nas mãos de Greedy, um demônio mestre da magia negra, que nunca havia aparecido em público, sempre esteve escondido reunindo magia. Os guardiões de Bless, liderados pelo Comandante Derik, destruíram o laboratório com bombas e enviaram emissários até Ricarten, solicitando reforços. Greedy era forte demais e aniquilou todos os batalhões que o enfrentaram. Ele então se dirigiu até Midranda, que como era esperado, havia rompido o Enigma e estava com seu poder restaurado.
    Midranda em posse da Arma Antiga atacou Pillai. Destruiu toda a defesa da cidade e aniquilou seus defensores. Permanece lá hoje reinando absoluto em companhia de suas hordas. Babel foi encarregado de liderar um exército para derrubar Ricarten, mas foi morto pelas defesas da capital.


    Concomitantemente com a Ascenção de Midranda, o feiticeiro Igolas, que havia amaldiçoado Navisko, foi localizado pelo mago Real Ray. O bruxo possuía milhares de seguidores, conhecidos como igolanos e estes ergueram uma gigantesca torre em um templo perdido. Na torre, o necromante aprisionou milhares de almas de guerreiros, que se tornaram o exército de monstros obscuros residentes lá. Ray, um dos mais poderosos bruxos e descendente direto dos antigos anciões (mestres supremos da magia) Marcha em direção a torre, para destruir as ambições secretas de Igolas.


    Nas Ruínas do laboratório de Midranda, exploradores do exército de Bless reportaram terem avistado uma insólita entidade vagando pelos corredores. Finalmente, a Alma Flutuante, um ser constituído da mesma energia etérea dos Nihil, revela-se aos pristonianos para apelar pela salvação dos remanescentes da sua raça, que permanecem escravizados e sob controle mental do sombrio e excêntrico cientista Greedy. Derik, que nutria um ódio mortal por Greedy, devido as batalhas passadas, se comoveu com a súplica da Alma Flutuante e decidiu reunir soldados de todo continente para derrota-lo.
    Greedy foi o cérebro responsável pelo Grande Cataclismo, um evento histórico e sangrento. Nesse episódio o cientista maligno caçou milhares de nihil para abastecer a magia da Arma Antiga e realizou experimentos com DNA, criando um exército de clones. As ambições de Greedy foram paradas pela sábia Celina, uma sacerdotisa imortal e seus aliados.


    O período após a primeira Guerra dos Deuses e a ascensão do deus Midranda foi o mais escuro dos pristonianos. Os deuses se afastaram dos pristonianos e os pristonianos se esqueceram dos deuses. A miséria e o sofrimento corromperam a alma dos pristonianos, que passaram a saquear e matar para sobreviver.


    Arrependidos e sentindo-se culpados pelo pesado fardo que impuseram ao mundo do Priston, por não terem sido capaz de impedir o retorno de Midranda, alguns antigos membros do Conselho dos Anciões decidiram perpetuar o que haviam aprendido, registrando todo o seu conhecimento em pergaminhos secretos.


    Os pergaminhos secretos foram escondidos por eles em bibliotecas ocultas no subterrâneo do Templo Perdido e da Ilha Perdida, na esperança de serem encontrados por seus descendentes no futuro, quando os deuses voltassem a se enfrentar.


    Os pergaminhos secretos jamais haviam sido encontrados, até que uma recente missão de investigação sobre o paradeiro do último esconderijo do Greedy os desvelou acidentalmente.


    A história da Guerra dos Deuses, descrita nos pergaminhos, guarda uma semelhança assustadora com os últimos acontecimentos.


    O fato é que o Greedy sabe como ativar e disparar a Arma Antiga e os pristonianos esqueceram-se de como manipular as forças dos Morions e dos Tempskrons, conjuntamente, desde a última Guerra dos Deuses.

    Além disso, não há tempo de assimilar os conhecimentos secretos dos pergaminhos nem ninguém com capacidade para utilizá-los, como fazia “A Grande Aliança”.

    Mais assustador ainda é o fato da sinistra profecia do Draxos estar se concretizando nesse momento, em que a Arma Antiga está apontada para a cidade de Pillai.

    A Sábia Celina ainda não sabe como transpor a barreira mágica-tecnológica do Greedy para desativar a Arma Antiga e sente as suas esperanças se esvaírem.

    Em meio a essa discussão infrutífera, de repente, o Comandante Derik adentra a sala do Conselho e os interrompe para relatar um alerta emergencial.

    Centenas de monstros transformados pelo DNA dos clones do Greedy e outros, que costumam habitar as ruínas da Arma Antiga, foram avistados, em formação de batalha, nas regiões do Santuário Congelado, do Lago da Ganância e da Terra Maldita, e parecem estar se movimentando em direção à cidade de Pillai.

    As tropas, que estavam guardando a Arma Antiga, são obrigadas a se direcionar para essas regiões para conter o avanço das hordas.
    Simultaneamente, há uma mudança no comportamento dos Nihil, seres de pura energia telúrica, que começam a se agitar e a movimentar-se de forma errática, à medida em que a energia da Arma Antiga pisca intermitentemente, como se estivesse se recarregando.

    Ao mesmo tempo, estranhos relatos de extensas áreas sendo incendidas, em diversos locais e sem aparente conexão, como se tivessem sido misteriosa e intencionalmente incineradas, começam a chegar com uma frequência cada vez maior. A silhueta de uma criatura alada, momentos antes dos insólitos incêndios ocorrerem, é associada a alguns desses incidentes.

    Subitamente, em meio ao caos que se instala, uma densa névoa toma conta da sala do Conselho de Anciões.
    Um par de olhos vermelhos ameaçadores e a voz feminina daquela que se apresenta como a Guardiã de Midranda anunciam a chegada daquele que vem com uma gargalhada estridente.

    Uma misteriosa presença sombria começa a tomar forma e a materializar-se, à medida em que a névoa se dissipa.
    Imediatamente, a Clériga do Templo, a Sábia Celina e as sacerdotisas Safira e Esmeralda atacam psiquicamente essa tenebrosa presença, que parece querer atravessar um portal a partir de outra dimensão remota.

    A ameaça é contida, temporariamente, mas Celina cai desmaiada, logo após o aterrorizante confronto e é socorrida pelas demais.

    A Guardiã de Midranda e a misteriosa presença sombria desaparecem através da névoa que os envolvia da mesma forma que invadiram o salão.
    Outras batalhas ocorreram após a Invasão de Pillai por Midranda. As guerras elementais e a ascensão da rainha Sucubus e de Bagash como novos generais de Midranda abalaram as vidas das tribos de Priston.

    Reunida com as sacerdotisas Safira, Esmeralda e a Sábia Celina, a Clériga do Templo invoca os poderes do Oráculo e descreve a sua visão ao Conselho de Anciões:

    “A primeira besta, metade máquina e metade pristoniano, devastará o continente através da peste e da guerra.
    A segunda besta, um demônio em forma feminina, atravessará os portais do subterrâneo até a superfície, abrindo o caminho para o seu mestre.
    A terceira besta de três cabeças, olhos vermelho-sangue, corpo reptiliano e cauda com uma ponta de lança emergirá das profundezas da água e espalhará a destruição e a morte através do fogo.
    Os pristonianos sucumbirão e pagarão o preço dos seus próprios atos violentos e egoístas praticados no passado.
    Um único deus prevalecerá acima de todos os deuses e uma nova era sombria terá início.
    A esperança sempre repousará nas poucas mãos capazes de resgatar a união entre as raças, reconciliar-se com os deuses e redescobrir o maior poder de todos, a antiga e proibida técnica da combinação dos poderes dos antigos pristonianos


    Ao ouvir as palavras do Oráculo, Celina tem um insight:


    “A primeira besta é o Greedy, que trouxe a peste e a guerra ao continente.
    A segunda besta é a Guardiã de Midranda, que está abrindo os portais dimensionais para a sua volta, como já pudemos presenciar há pouco.
    A terceira besta é Kir, o lendário dragão e montaria de Midranda, o que explica os misteriosos incêndios que vêm acontecendo em toda parte.
    Eu tenho tentado romper a barreira criada pelo Greedy em torno da Arma Antiga, mas a tecnologia e a magia utilizadas por ele estão além do meu conhecimento e poder. Por isso, elas só podem estar relacionadas à antiga técnica da fusão.
    Preciso resgatar esse conhecimento. É a nossa única esperança...”.


    O Conselho dos Anciões decide, então, contra-atacar Midranda em três frentes: A Clériga do Templo e as Sacerdotisas Esmeralda e Safira devem tentar localizar a Guardiã de Midranda e retardar, ao máximo os avanços do deus maligno.


    A Sábia Celina está autorizada a estudar e praticar a antiga e proibida técnica da “Fusão” (utilizada na primeira guerra e que garantiu a vitória do exército de Tempritos) para descobrir como derrubar a barreira mágica-tecnológica do Greedy e desativar a Arma Antiga.


    O Comandante Derik deve convocar todos os guerreiros, inclusive os aprendizes, para deter, a qualquer custo, o avanço das criações dos Greedy e destruir Kir, o dragão.


    Renovados nas esperanças todos seguem para cumprir, bravamente, com a suas designações.

    Apesar dos heroicos esforços, as hordas inimigas parecem ser imbatíveis.


    Ainda inexperientes, os aprendizes não conseguem suprir as baixas dos exércitos pristonianos e os monstros mutantes do Greedy avançam para o Valle Gallubia, Floresta dos Espíritos, Caverna das Abelhas, Floresta das Ilusões, Castelo dos Perdidos e Villa Ruinen.

    Pillai está sitiada!

    Os terríveis ataques de Kir devastam imensas áreas de florestas, plantações e vilas, destruindo a tudo e carbonizando famílias inteiras.

    Os pristonianos experimentam a destruição, a fome e a morte mais uma vez...
    Finalmente, a Sábia Celina começa a compreender os princípios da “Fusão”, mas o avanço é lento e difícil...

    A poderosa energia da Arma Antiga, que está afetando os Nihil, deixou desacordados os guerreiros que ainda guardavam o local.

    Totalmente recarregada e, dessa vez, apontada para Pillai, a Arma Antiga está pronta para disparar novamente.

    Os Nihil abandonam o seu comportamento errático, mudam de coloração e tornam-se, surpreendentemente, agressivos, abandonando o subterrâneo e vagando na superfície, atacando a todos no seu caminho em direção à Pillai, como se estivessem sendo guiados pela própria Arma Antiga, ao mesmo tempo em que a sua energia telúrica a energiza.

    Greedy contempla a sua obra com uma sinistra satisfação...

    A Guardiã de Midranda tem conseguido abrir os portais dimensionais nas mais diversas localidades.
    Apesar dos esforços psíquicos da Clériga do Templo e das Sacerdotisas Esmeralda e Safira, há vários relatos da aparição de um ser alado encoberto por uma misteriosa névoa escura, de grande envergadura, emanando um grande e terrível poder, sempre antecedido pela aparição da demoníaca silhueta feminina de ameaçadores olhos vermelhos.

    Nesse cenário desfavorável, o Conselho de Anciões se vê obrigado a tomar uma última e difícil decisão: evacuar Pillai.

    O Mestre Raymon é designado pelo Conselho Real para realizar o triste pronunciamento aos cidadãos remanescentes da cidade, na praça central do chafariz, que devem abandoná-la imediatamente e dirigir-se para sua realocação em Ricarten.
    Todos são tomados por uma profunda melancolia e desespero.

    Vovó Molly não consegue conter as lágrimas enquanto observa, ao longe e pela última vez, das alturas da cidade flutuante, a destruição causada pelo avanço das hordas do Greedy nos arredores de Pillai.

    Phillya aproxima-se e tenta consolá-la, abraçando-a fraternalmente. Newter, desorientado, fica paralisado, descrente do que está acontecendo. O sempre alegre e brincalhão Bartz, senta ao chão e começa a chorar convulsivamente.

    O Mago Real Ray e os demais Magos Reais utilizam todos os Cristais Mágicos, recuperados dos Trololos, que são a fonte de energia e mantém Pillai flutuando, para erguer a última barreira de defesa da cidade.

    Qual destino aguarda a cidade flutuante de Pillai?
    Editado por CavaleiroJean; 20/09/2018, 19:55.

  • #2
    esse tópico merece algumas adições

    https://youtu.be/KN4mprfvn9E

    https://youtu.be/jKYO0T8zSd0


    Comentar

    Carregando...
    X