Anúncio

Recolher
No announcement yet.

A jornada de Hopu - Ato III

Recolher
X
  • Filtrar
  • Hora
  • Exibir
Limpar Tudo
novos posts

  • HNardino
    iniciou o tópico A jornada de Hopu - Ato III

    A jornada de Hopu - Ato III

    Ato I - https://forum.priston.com.br/forum/t...-de-hopu-ato-i
    Ato II - https://forum.priston.com.br/forum/t...de-hopu-ato-ii

    -

    Após coletar seu primeiro fragmento, o herói se dirige para Floresta Bamboo, encontrar seu amigo Mekhistu.

    -Me enfrente noob!
    -Hopu! Quanto tempo!
    -Não vim para brincar!

    Mekhistu não era conhecido por sua coragem, acaba correndo de Hopu.
    Ao alcança-lo a luta acaba rapidamente.

    Hopu vê um Wolverine de bronze com seus próprios olhos, lembra que seu pai dizia serem criaturas muito hostis e subestimadas.
    Wolverines viviam na defensiva, pois humanos constantemente vinham mata-los em busca de suas partes.
    O hopi se aproxima e diz não ter interesse em infrenta-lo, contando sua história.
    Simpatizando com o herói, o lobo oferece uma carona até o limite do mapa, uivando, convocando seus irmãos.
    Ambos wolverines de Ouro e Prata aparecem, e contam a história onde os três irmãos não conseguiam se reunir, devido a restrição dos mapas.
    Hopu diz que poderia ajudar, e conta como.
    Com esperanças do que ele falava ser verdade, ambos vão até o boss Platin Mav.
    Destroçando seus galhos com garras e presas, o fragmento foi facilmente conquistado por seus novos amigos.


    Hopu encontra seu tio novamente, contando toda a história da sua jornada enquanto mostra o fragmento de seu pai.
    Mekhistu acha estranho o fato de seu sobrinho ter esse pedaço, porem não faz mais questionamentos.
    Seu tio parecia esconder algo dele...

    -Eu não serei tão mole quanto seu pai, esta preparado?
    -Você não tem chances!

    Então os dois começam uma batalha feroz no meio do refúgio...
    Hopu percebe que não tinha chances de ganhar, mas ao mesmo tempo que lutava, seu tio lhe ensinava técnicas de batalha. Após horas de luta, Mekhistu cai em seus joelhos.

    -Seu espírito é forte...

    Com seu fragmentos, Hopu vai em frente ao seu novo desafio.
    Ao chegar no Castelo dos Perdidos, o pequeno hopi lembra das histórias de sua infância, onde um grande ciclope malvado habitava o lugar, porem sem mais delongas, ele já havia decidido seu destino.
    Hopu tentara manter contato com o mesmo, porem a única língua que falava, era a da guerra.
    Cyclone era um monstro feroz, com ser martelo e escudo, hitava forte.
    Durante a batalha, ele começa a lembrar do que seu tio havia falado durante a luta.

    "Os mais poderosos não necessariamente são os mais fortes, força e velocidade precisam estar em harmonia. Força bruta sem velocidade é inútil, velocidade sem força é ineficaz, lembre-se disso."

    Então hopu começou a rodear o grande Cyclone, suas marteladas tremiam o chão, porem não eram capazes de acertar o ágil hopi.
    Atacando seus joelhos, foi capaz de derrubar o grande ciclope.
    Rapidamente Hopu apanha seu martelo, finalizando a luta com um golpe certeiro.
    Sem tempo a perder, vai pulando até seu próximo destino.

    Chegando na Vila Ruinem, Hopu vê o mesmo lutador que havia derrotado seu pai.
    -MALDITO!
    Em um ataque de fúria, ele corre e derrota o mesmo com apenas uma cabeçada.
    O lutador só consegue ver a figura do hopi e pronunciar as seguintes palavras:

    -Você de novo? Jogo bugado da p%$&!
    Assim perdendo xp, pois o mesmo não tinha ressu.

    Hopu sabia que iria ser difícil coletar os fragmentos, pois precisaria enfrentar um 2x1.
    Ele poderia esperar e derrotar cada um separadamente, mas também sabia que nunca melhoraria suas técnicas de combate sem um desafio.
    Grave Shakins, um forte guerreiro do passado, agora lento e Bauton, o desafiador colosso criado a partir de pedras antigas da região.
    Hopi se ve em apuros quando não consegue achar uma abertura para atacar ambos, e usa de sua inteligência.
    A faca de Bauton encontra a cabeça do zumbi, ao faze-lo Hopu escala pelo corpo de Bauton.
    Em sua ignorância, Bauton tenta acerta-lo, mas acaba acertando sua própria cabeça.
    Hopu saíra vitorioso.

    Ele sabia que se fosse em direção as florestas de Pillai, encontraria a coruja, então decide ir a Terra Maldita.

    o Grande Duende das Trevas não tinha chances contra o pequeno hopi, pois ao crescer com Duendes Macabros, sabia todas as fraquezas da raça.
    Facilmente o Hopi o derrota, e segue em frente, entrando nas trevas do calabouço.

    O primeiro andar era um lugar assustador, cheio de aranhas e criaturas estranhas.
    Foi quando ele percebe que Vega Demitri estava nas entranhas do calabouço.
    Hopu começa a batalhar com o mesmo, e quando estava quase o matando, hopu grita indignado:

    -O ********** pode potar??

    Com isso ele recua, pois foi pego de surpresa, e suas energias estavam quase no fim.
    O conselho de seu tio já não se aplicava nessa luta, pois o decapitador era rápido e forte.
    Porem ele percebe que ele só tinha um olho bom, o outro fechado.
    Sorrateiramente, ele se aproxima e ataca o boss, finalizando a luta.

    Ao pular até o segundo andar, hopu se esconde enquanto assiste a luta de um cavaleiro e o boss Múmia Real.
    A luta era feroz e ele percebeu que o cavaleiro tinha vantagem.
    Quando a luta estava prestes a acabar, outro humano passou perto da luta, lurando muitos monstros para o cavaleiro, que não aguentou a batalha.
    Hopu aproveitou a luta que já estava encaminhada para finalizar o boss, coletando seu cristal.

    O hopi se encontrava no terceiro andar do calabouço, e teve uma surpresa.
    Um grande e gordo hopi, quem seria ele?

    -Quem é você?
    -EU SOU O REI HOPI.
    -Nunca ouvi falar do rei na nossa espécie.
    -Eu ja fui como você, pequeno e indefeso.
    -Posso ser pequeno mas não sou nem um pouco indefeso...

    Então Hopi começa a contar sua jornada ao Rei.
    Intrigado por sua destreza e inteligência, decide ajudar o pequeno de sua espécie a completar sua jornada.
    Rei Hopi avisa que o boss era traiçoeiro, podendo ficar invisível, se camuflava no meio de monstros normais para derrotar humanos.
    Porem nada passava batido pelos olhos do Rei.
    O grande Hopi então joga seu corpo em direção do boss, desmontando seu corpo esquelético, um golpe que maravilhara Hopu.

    -Você deu... Uma barrigada nele?!
    -HAHAHA você tem muito o que aprender ainda, jovem.

    Hopu então agradece e se despede do Rei. voltando a sua jornada banhado pelo sol do deserto.

    O desafio agora era mais difícil, pois o sol queimava mais forte nas areias quentes da Terra Esquecida.
    Hopu sabia que precisava mais uma vez enfrentar um 2x1, porem agora, já estava preparado.

    Apostasy era maior que Bauton, e dessa vez, o esqueleto El Rasi Kun atirava flechas.
    Precisando se esquivar das flechas e manter distancia do colosso, Hopu estava em apuros.
    Estrategicamente, fazia com que o esqueleto atirasse suas flechas na parede.
    Usando as flechas como uma escada, subiu em uma das pedras do deserto.
    Lembrando da luta do Rei, Hopu pula e com sua barriga, desmonta o esqueleto.
    Rapidamente pegando a balista do boss, atira os ossos de Rasi kun em Apostasy.
    Hopu mais uma vez saiu vitorioso do 2x1.

    O hopi tentou entrar em Navisko, porem era uma cidade com uma magia igual a de Ricarten, o que barrara hopu de continuar seu destino.
    Então ele vai de encontro ao Oasis.
    Vega Demitri estava la.
    Porem com a experiência de derrotar seu irmão, Vega Demir, a luta foi parecida, a única diferença é que ele usava um machado, e não uma espada.

    Hopu agora não sabia o que fazer, pois não podia continuar seu destino, barrado pela magica de Navisko.
    Ele decide então voltar a Wan Shi Tong.

    A coruja, surpreso pelo Hopi ainda estar vivo, pergunta se ele havia coletado o que lhe foi solicitado.

    -Não posso entrar em Navisko, como posso continuar?
    -Você coletou os outros fragmentos?
    -Sim! Aqui estão. Mas e quanto aos outros fragmentos além de Navisko?
    -Não serão necessários, com esses já conseguiremos.

    Hopu então entrega todos os fragmentos que coletou, Wan Shi Tong começa sua mágica para permitir que Hopu pudesse entrar nas cidades.
    Mergulhando todos os fragmentos em um caldeirão, a coruja começa a recitar palavras antigas, Hopu não conseguia compreender o que ele falava.
    Wan Shi Tong percebe que algo está errado com a magia.

    -VOCÊ ACHA QUE PODE ME ENGANAR?
    -Do que você está falando?
    -Este fragmento de Zzanpi é falso!
    -Não pode ser, meu pai me entregou ele.
    -Um boss não pode entregar seu fragmento, ele só pode ser conquistado derrotando o mesmo.
    -Impossível... Ele é meu pai, não faria isso...
    -SUMA DAQUI COM ESSE FRAGMENTO FALSO.

    Hopu retorna ao seu pai, enfurecido por ter sido enganado.

    -MENTIROSO!
    -Filho...
    -VOCÊ ME ENGANOU!
    -Você ainda não estava preparado para me derrotar, filho...
    -EU ACREDITEI EM VOCÊ!

    Sem ouvir o que seu pai tinha a dizer, Hopu parte para cima do mesmo, destruindo a existência e o vínculo que ambos partilhavam.
    Sua mãe, ao observar o que Hopu tinha feito, diz não o reconhecer mais.
    Hopu começara a perceber que o desejo de entrar nas cidades estava mudando sua essência pura e inocente, porem já era tarde demais para olhar para trás...

    Mais uma vez o Hopu retorna a Wan Shi Tong, com o fragmento verdadeiro.
    A magia começa a ser refeita.
    Nuvens começam a se escurecer.
    A temperatura cai.
    Monstros do mapa recuam.
    O chão começa a tremer.
    A voz de Wan Shi Tong fica mais demoníaca.
    Seus olhos avermelhados.

    -MUAHAHAHA! FINALMENTE LIVRE!

    Wan Shi Tong na verdade era nada mais nada menos do que o próprio Midranda!
    Durante a antiga guerra, humanos usaram da arma antiga para selar midranda, porem ele nunca foi morto, apenas fadado a observar a paz da floresta em sua forma de coruja.

    -A MALDIÇÃO FOI QUEBRADA.
    -Quem é você?
    -Eu só poderia me libertar dessa forma patética se um Hopi me entregasse fragmentos dos bosses, de livre e espontânea vontade. TOLO!
    -Não pode ser...
    -Não era isso o que queria? Poder? Para entrar nas cidades, se vingar dos humanos. Eu posso te dar isso... Prove-se capaz. Enfrente Babel, me traga sua foice, não mencione que eu retornei.
    -Mas...
    -VÁ AGORA OU EU DESTRUIREI TUDO O QUE CONHECE!

    Hopu, assustado, obedece ao Deus e parte para a Estrada de Ferro do Caos...



  • Higurashixxx
    respondeu
    Queria eu poder proteger esse hopi das maldades do mundo
    Espero que nesta jornada Hopu recupere sua Essência

    Deixar um comentário:

Carregando...
X